abr 15
Compras online aumentam ate 13x

Compras online aumentam até 13x e mudam comportamento do consumidor

Enquanto empresas no mundo todo correm perigo de fechar durante a crise, as que possibilitam compras online estão mais fortes do que nunca.

O perfil do consumidor mudou de uma hora para outra e as empresas que já haviam fortalecido seu braço digital estão sentindo menos o impacto.

Enquanto trabalhadores de alguns segmentos correm o risco de perder seus empregos, essa semana a Amazon contratou 100.000 profissionais de armazém para dar conta da demanda.

A vida nunca foi tão digital.

Novas oportunidades

Embora a Amazon tenha mudado a forma de se comprar livros e artigos eletrônicos, a venda de mantimentos sempre foi um desafio.

Agora, à medida que as pessoas estão sendo forçadas a ficar em casa, essa realidade pode mudar.

Um varejista que deu uma entrevista ao New York Times dizendo que havia feito as compras de comida do mês online pela primeira vez essa semana e que se vê comprando assim de agora em diante.

O modo como as pessoas compram e se relacionam pode nunca mais ser o mesmo depois do isolamento social provocado pela pandemia.

O Mercado Livre também está aproveitando essa deixa.

A ideia de MarketPlace já estava chamando atenção nos últimos anos, mas a oportunidade de poder continuar vendendo online foi a saída para muitos donos de pequenos armazéns.

Pesquisas mostram que à medida que clientes tentam novos serviços outros hábitos de consumo tendem a nascer.

Um dos maiores motivos da enorme contratação feita pela Amazon na semana passada é que os consumidores estão se permitindo experimentar novas modalidades de compra online.

Entre 20 de Fevereiro e 15 de Março, as vendas online de remédios para resfriado que não precisam de receita aumentaram 9 vezes.

Os pedidos online de alimentos para cães aumentaram 13 vezes e as vendas de papel higiênico triplicaram.

Equipes remotas

A Microsoft lançou de forma agressiva sua nova ferramenta de trabalho em equipe, a Microsoft Teams para concorrer com a Slack.

O aumento da procura por esses serviços aumentou 39% em uma semana.

Segundo Jared Spataro, vice-presidente corporativo da Microsoft, a crise pode mudar a maneira como ganhamos a vida.

É possível que muitas empresas implantem boa parte de suas operações permanentemente online, evitando assim surpresas no futuro.

Home Office: 7 dicas para ser mais produtivo

O online precisam ser responsáveis por pelo menos 1/3 do faturamento de qualquer negócio

Sabemos que empresas que oferecem serviços são as mais prejudicadas em tempos de crise, então nossa dica nesse momento é pensar em como é possível estender uma parte do seu serviço para o setor online.

O momento é complicado, mas a criatividade pode ser a chave para sair mais forte.

Se você tem uma salão, pense em dar dicas para manter os cabelos em casa via YoutTube, assim como vender cursos de corte e coloração em plataformas online.

Para quem trabalha com produtos e não teve tempo de investir uma loja online, a saída pode ser vender via MarketPlaces como Mercado Livre, por exemplo.

Tenha em mente que com um mundo tecnológico a chave para se manter estável em momentos de crise é diversificar as fontes de renda, sendo a venda online responsável por pelo menos 30% dela.

Leia também: Como uma funerária pode inspirar seu negócio

Sobre o Autor

Helen Paiva é desenvolvedora Front End orgulhosa, especialista em comportamento do consumidor e apaixonada por UX/UI Design.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *