nov 09

Como um restaurante conseguiu ter lista de espera no auge da pandemia

Enquanto a maioria dos restaurantes estavam fechados ou tentando se adequar ao modelo de delivery com uma receita muito inferior ao que estavam acostumados na época pré pandemia, um restaurante na Argentina conseguiu com que consumidores esperassem até 1 semana para receberem seu pedido via delivery.

Detalhe: pago com antecedência e muitas vezes precisando providenciar a retirada por conta própria.

Parece loucura, não é mesmo? Afinal de contas, ninguém planeja com tanta antecedência pedir comida.

Mas esse restaurante transformou seu delivery em um verdadeiro evento.

Quer saber como? 4 palavras: qualidade, experiência sensorial, escassez e marketing digital,

Saiba como o restaurante do chefe German Martitegui, jurado do Masterchef Argetina, conseguiu fazer uma limonada gourmet com os limões que a pandemia trouxeram.

1) Qualidade de restaurante e não de delivery

Alguns chefes, como o sócio da Paola Carosella precisou fechar o restaurante durante a pandemia.

Um dos motivos de restaurantes renomados terem sido tão impactados com a pandemia é que a experiência culinária proporcionada por eles dificilmente pode ser substituída por um delivery.

Isso porque grande parte do preço que se paga está conectado a montagem artística dos pratos e do ambiente.

É muito difícil garantir a mesma qualidade no delivery já que a comida não chega com o mesmo frescor ou apresentação.

Solução

O chefe Argentino continuou oferecendo um menu de passos, ou seja, entrada, prato principal e sobremesa entregues à vácuo e com instruções simples para cozimento e montagem.

Cada prato precisava ser imerso na própria embalagem em água quente por minutos determinados e pronto. Esse formato garantiu que o prato teria a mesma qualidade do restaurante em todas as casas, independente da entrega.

2) Experiência sensorial

Chefes renomados pensam em camadas de sabor e isso não combina com sofá e TV e sim com música, vinho e luz de velas.

Por isso, foi criada uma estratégia para aproximar o consumidor da experiência que o restaurante proporcionaria, se não fosse a pandemia.

Acompanhando os pratos há uma playlist e bebida pensadas para combinar com os sabores do menu, além de vídeos para ensinar a montagem, transformando todo o processo em uma experiência lúdica e especial.

Em um momento em que ninguém podia frequentar restaurantes, esse formato de delivery fez com que as pessoas sentissem que saíram da rotina de suas casas. Era quase possível esquecer por algumas horas o que estava acontecendo com o mundo e se sentir normal de novo.

Percebeu o foco na palavra sentir? Na realidade os consumidores estavam em suas casas mas a percepção era de estarem em um restaurante.

3) Escassez

Assim como qualquer restaurante concorrido, fazer reservas é parte da rotina. A novidade é que este restaurante conseguiu trabalhar com reservas e listas de espera para delivery.

Isso mesmo, o consumidor precisa planejar e esperar a data para aproveitar essa experiência, tornando tudo ainda mais especial.

A sensação de limitação causada por uma demanda maior do que a oferta torna o produto exclusivo e por isso, mais cobiçado.

4) Marketing Digital

A jornada do consumidor (descoberta, interesse e experiência) foi pensada do começo ao fim para fazer com que esse produto se tornasse um sucesso.

Descoberta: postagens no Instagram sobre a possibilidade de se sentir em um restaurante dentro de casa.

Interesse: quando o consumidor descobria a lista de espera e ficava ainda mais interessado pela validação social.

Experiência: tudo pensado nos mínimos detalhes para que o consumidor se sentisse especial, parte de algo e compartilhasse sua experiência de forma totalmente voluntária, aumentando o interesse e a relevância social do produto e iniciando assim o ciclo para novos consumidores.

Bônus: se o consumidor não fosse conquistado por toda a experiência do jantar, certamente seria no café da manhã. Isso mesmo! No pacote estava incluso um pão de nozes artesanal para comer no dia seguinte e fechar com chave de ouro.

Leia também Criação de site para restaurante – 10 dicas

Sobre o Autor

Renata é Psicóloga, especialista em Neuromarketing e Comportamento do Consumidor. Obcecada por café e livros de história, consegue passar horas falando sobre praticamente qualquer assunto.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *