jul 14
Como fazer plano de negócios

Como fazer plano de negócios: passo a passo

Uma empresa sem plano de negócios beira a informalidade e aumenta os riscos e incertezas para o empreendedor. Aprenda neste artigo como fazer seu plano de negócios com um passo a passo prático e conquiste uma visão 360° que irá ajudá-lo a atingir seus objetivos de longo prazo.

Antes de mais nada você precisa saber que é praticamente impossível ter sucesso sem um plano de negócios. Mas é igualmente impossível criar um plano de negócios definitivo de primeira então prepare-se para ser flexível.

Passo a passo para criar seu plano de negócios:

  1. O que será comercializado
  2. Problemas que serão resolvidos
  3. Diferenciais da empresa
  4. Sensações que serão transmitidas
  5. Análise da concorrência
  6. Identificação de inspiração
  7. Definição da persona
  8. Perfil da empresa
  9. Parceiros e fornecedores
  10. Objetivos
  11. Plano financeiro
  12. Operacional
  13. Estratégia de marketing

O que é um plano de negócios e quais são seus objetivos

É um documento que visa compreender uma empresa do começo ao fim, proporcionando uma visão integral de seus características, desafios e estratégias.

Em resumo este plano define o que, como, quando, onde e porquê estabelecendo objetivos e ações para alcançá-los.

Seu principal objetivo é verificar a viabilidade de um negócio, apresentar para possíveis parceiros comerciais, diminuir riscos e aumentar as chances de sucesso promovendo a continuidade da empresa a longo prazo.

Abaixo ensinaremos um passo a passo totalmente prático para que você possa criar de uma vez por todas um plano de negócios efetivo que será seu braço direito nas ações do dia-a-dia.

1) Produtos/Serviços

Comece seu plano de negócios criando uma lista com tudo o que irá comercializar. Saiba que isso pode mudar no futuro pois se sua empresa ainda não está rodando pode ser que estes itens não tenham aderência ou o retorno financeiro esperado.

2) Problemas

Para que seus produtos ou serviços tenham aderência no mercado eles precisam resolver pelo menos um problema.

Saiba que independente do seu segmento sua empresa pode sim resolver um problema. Não precisa ser um grande problema como a fome. Qualquer problema é grande suficiente para gerar valor em seu produto ou serviço.

Exemplos:

Petshop – ter que lembrar sobre banho, ração e vacina.

Restaurante – não conseguir comer bem e saudável durante a semana.

Coworking – não ter com quem deixar o filho para trabalhar.

Seja criativo, mas pense em problemas reais.

3) Diferenciais

Porquê alguém escolheria a sua empresa para resolver seu problema? A melhor forma de conhecer seus diferenciais é ouvindo seus clientes e o que eles mais valorizam.

Se você ainda não possui nenhum cliente procure não idealizar demais. Se coloque no lugar do cliente em potencial, realize uma pesquisa das opções e identifique os motivos que te fariam ser escolhido em detrimento dos demais.

4) Sensações

Como você quer que seu cliente se sinta após ter contato com a sua empresa?

Tranquilo? Animado? Com a sensação de que saiu ganhando ao conseguir um ótimo custo benefício?

5) Concorrência

Liste e estude sua concorrência direta. Isto é, se sua empresa não existisse, quais seriam as opções reais para o seu cliente ideal?

Quais são os pontos fortes e as oportunidades destas opções? Como sua empresa pode se sobressair?

6) Inspiração

Inspiração tem a ver com mercado mas é muito diferente da concorrência. O motivo é que a inspiração não é uma opção para o seu cliente ideal, podendo ser, inclusive, de outro país.

7) Persona

Lembre-se de não pensar em uma persona apenas como uma compradora.

Ela também é amiga, filha, mãe, profissional e muitas outras coisas.

Descubra:

  • Quais situações cruzam com a sua oferta
  • Perfil
  • Características pessoais e profissionais
  • Interesses
  • Dores
  • Desafios
  • Preocupações e expectativas em relação a oferta
  • Consequências em não adquirir a oferta

8) Perfil

O que é esperado de quem trabalha na empresa? Quais são as características fundamentais para dar match com a cultura organizacional que é ou será criada?

Caso você não tenha pretensão em contratar funcionários no curto prazo faça esse exercício pensando em você e nos seus sócios.

Avalie se todos possuem as características desejadas e em caso negativo crie um plano à parte para desenvolver as competências necessárias.

9) Parceiros e fornecedores

Liste as pessoas e empresas necessárias para sua empresa funcionar adequadamente. Procure ter um plano B para cada item fundamental.

Se existe um funcionário essencial que a empresa não pode ficar sem, crie um plano de contingência, mesmo que esta pessoa seja você.

10) Objetivos

Uma das etapas mais importantes em um plano de negócios é o estabelecimentos dos objetivos.

O motivo disso é uma única certeza: objetivos mal elaborados são o caminho mais rápido para a frustração.

É impossível atingir uma meta sem a definição correta de como chegar lá.

Agora que você já sabe o porquê deve dar atenção especial a esta etapa vamos te ensinar um método incrível para definição dos objetivos: o conceito SMART.

Specific
Mensurable
Achievable
Relevant
Timebound

Na prática estes são os itens que você precisa garantir para elaborar um objetivo que realmente te ajude a atingir os resultados esperados:

  • Tenha objetivos passíveis de medição.
    Por exemplo: vender muito = vender pelo menos 10 produtos X por dia.
  • Traduza seus objetivos em ações práticas.
    Por exemplo: vender pelo menos 10 produtos X por dia alcançando 100 cliques diários no site.
  • Lembre-se de colocar uma data de corte, seja diário, semanal, mensal, semestral etc
  • Garanta que seus objetivos sejam realistas, pensando na maturação do seu negócio. Se preciso crie objetivos de curto, médio e longo prazo.
  • Defina o que, como, quando e onde para cada objetivo.

11) Plano financeiro

Aqui devem entrar as despesas iniciais, as fixos e os investimentos necessários para fazer o negócio acontecer.

Considere equipamentos e parceiros para serviços físicos e digitais.

Para a estimativa de receitas considere o lucro estimado para cada item que será comercializado e lembre-se que esta parte em especial precisará ser revista muitas vezes principalmente nos primeiros anos da empresa.

Nenhuma previsão de faturamento é tão assertiva quanto a que se baseia em faturamento passado, por isso, enquanto você não tem histórico de receitas é possível realizar apenas estimativas.

12) Plano Operacional

Neste item devem ser listados os processos da empresa desde o atendimento até a produção e entrega. Procure criar processos inteligentes e eficientes tendo sempre em mente que tempo é dinheiro, literalmente.

Em seu plano operacional não esqueça de estimar quantas horas serão necessárias para vender cada item que será comercializado. Quanto mais você conseguir enxugar processos sem perder a qualidade mais vendas você consegue realizar com os mesmos recursos.

13) Plano de Marketing

Agora que você já sabe:

  • O que vende
  • Para quem vende
  • Porquê vende
  • Quem também vende
  • Porquê comprariam
  • Que profissionais e empresas estão envolvidas
  • Quanto custa vender
  • Quanto pode render
  • Como fazer tudo acontecer

É preciso descobrir como vender.

Para isso é importante saber que mesmo sendo antigo o conceito dos 4P’s do marketing ainda é muito eficaz!

Produto

Neste item você deve listar a oferta, pensando nos três primeiros itens do plano de negócios.

Preço

O posicionamento de preço deve levar em conta algo que vai além: o valor percebido. Para isso é necessário realizar uma pesquisa de mercado para entender qual é o valor médio que a sua oferta está sendo comercializada.

Agora é o momento de analisar o preço dos seus concorrentes diretos e entender o que eles oferecem a mais e a menos que você. Se o que você oferece a mais não é percebido como algo de valor para o seu público-alvo não irá adiantar.

Se por uma questão de poder de investimento e tempo de mercado seu concorrente conseguir oferecer mais do que você, saiba que terá que compensar no preço.

O preço precisa estar vinculado a persona do seu negócio e a sua oferta de valor.

Basicamente você deve se colocar no lugar do seu consumidor e verificar os prós e contras de cada opção tendo em mente que a sua oferta precisará ter o melhor custo benefício para poder triunfar.

Praça

Se a sua oferta é digital sua praça terá muito mais a ver com a sua persona do que com questões logísticas.

Caso a sua seja de marketing digital e a sua persona tem a vida corrida, é moderna, agitada e precisa de serviços práticos provavelmente sua praça será as grandes capitais do país, principalmente aquelas em que o empreendedorismo é mais fomentado.

Agora se a sua empresa comercializar produtos físicos a praça será um fator relevante para pensar a logística em termos de custo e complexidade de operação.

A praça pode ser grande como um estado inteiro ou pequena como apenas um bairro.

Promoção

É aqui que entra a estratégia para promover e divulgar seus produtos ou serviços.

Abaixo listamos algumas das principais frentes para facilitar a criação da sua estratégia:

Marketing de conteúdo
São estratégias que visam educar e se conectar com potenciais clientes através da criação de conteúdos relevantes e que possuem como plataformas principais blogs e Youtube.

Social Marketing
Trata-se de uma presença digital consistente nas redes sociais que a sua persona mais utiliza. Sua empresa não precisa estar em todas as redes sociais, para que este trabalho seja assertivo você precisa conhecer sua persona e saber como ela navega na internet.

Google Ads
São investimentos para ser encontrado tanto na rede de pesquisa quanto impactar usuários com a rede de display.

Rede de pesquisa – Resultados que aparecem nas buscas do Google como anúncio.
Rede de display – Anúncios geralmente em imagem ou vídeo que aparecem em sites frequentados pelo público que você segmentou na ferramenta.
Remarketing – Muito utilizado na rede de display, nada mais é do que marcar um visitante do seu site para fazer com que ele se lembre da sua marca através de anúncios. 

Vendas ativas
É aquela venda antiga mas que ainda dá certo em alguns segmentos. Prepare-se para gastar saliva e a sola dos sapatos já que este tipo de vendas requer e-mails, ligações e visitas porta-a-porta.

Não existe o tipo certo de estratégia de divulgação, mas o que podemos garantir é que estratégias combinadas funcionam melhor.

Resumindo o passo a passo de um plano de negócios

  • Defina seus produtos e serviços;
  • Analise quais problemas sua empresa irá resolver;
  • Garanta que conhece os diferenciais da sua oferta;
  • Pesquise sua concorrência e mercado;
  • Conheça seu cliente ideal;
  • Saiba quem são seus steakholders, ou seja, parceiros e fornecedores essenciais para o seu negócio;
  • Alinhe o perfil de profissionais da sua empresa, isso irá ajudá-lo a criar uma cultura organizacional mesmo que comece apenas com uma pessoa;
  • Estabeleça objetivos que te ajudarão a atingir suas metas;
  • Crie um plano financeiro para gerar previsibilidade e evitar dificuldades de fluxo;
  • Elabore um plano operacional para aumentar a capacidade produtiva, o lucro e a quantidade de clientes satisfeitos com processos eficientes e de qualidade;
  • Estruture um plano de marketing para fazer o negócio acontecer.

Uma vez pronto coloque o plano para rodar, acompanhe, avalie, reavalie e adapte.

Lembre-se que o plano de negócios é um organismo vivo que irá mudar e crescer com a sua empresa, por isso, trate com carinho e atenção, ele será a espinha dorsal e deverá guiar todas as suas ações.

Gostou deste passo a passo super simplificado que elaboramos para te ajudar a criar seu plano de negócios?

Então leia também O que saber para abrir uma empresa: 7 coisas que ninguém te conta

Renata Furtner

Sobre o Autor

Renata é Psicóloga, especialista em Neuromarketing e Comportamento do Consumidor. Obcecada por café e livros de história, consegue passar horas falando sobre praticamente qualquer assunto.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *